18 Abril 19

CPP e INAU participam de evento técnico com parceiros da MUPAN-WI-UFMS em Campo Grande.

Escrito por 

A WI (Wetland International) junto com a MUPAN (Mulheres em Ação no Pantanal) promoveram nos dias 16 e 17 de Abril deste ano em Campo Grande – MS, uma reunião com os parceiros Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP), Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Áreas Úmidas (INAU), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), entre outros, para avaliar o avanço da Fase 1 do Programa Corredor Azul – Pantanal.

O Programa tem como objetivo salvaguardar a saúde e conectividade do Sistema Paraná-Paraguai de Áreas Úmidas (AUs) em benefício das pessoas e da natureza, buscando aprimorar as interconexões sociais, políticas, ambientais e econômicas de três grandes AUs que compõem o Sistema, o Pantanal no Brasil e os Esteros de Iberá e o Delta do Paraná na Argentina.

A reunião foi conduzida pelo especialista na área Emílio Bretan, que apresentou novas ferramentas de avaliação e monitoramento do PROGRAMA CORREDOR AZUL. O foco da reunião foi pensar em propostas futuras, além de buscar sinergias com outras ações que vem sendo desenvolvidas por outras instituições..

A pesquisadora do CPP e INAU, Dra Cátia Nunes da Cunha, participou do evento, e permanecerá nos próximos dias em Campo Grande para discussão dos produtos gerados no âmbito da Cooperação entre o CPP e MUPAN-WI.

Ler 135 vezes Última modificação em Quinta, 18 Abril 2019 12:42
Avalie este item
(0 votos)

Restrito

Facebook

Contato

Centro de Pesquisa do Pantanal

Rua Dois, N.º 497, Sala 02, Bairro Boa Esperança

Cuiabá - MT

Telefones: + 55 (65)3627-1887

Email: gestao.cpp@gmail.com

Sobre nós

O Centro de Pesquisa do Pantanal – CPP – é uma organização independente, com enfoque humanista e sem fins lucrativos. Seu propósito maior é a promoção da cidadania, que no século XXI, tem na questão ambiental seu ponto chave.

Funcionando em estrutura de rede, o CPP está fortemente calcado em parcerias governamentais e não governamentais dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, contando também com o apoio de setores do governo federal.